Tudo sobre turismo na Bélgica

A Bélgica, ou Reino da Bélgica, é um país do noroeste europeu. Com população de 11 milhões de habitantes, sua capital é Bruxelas. Por mais que seja pequeno, o país é grandioso no impacto. Em uma curta viagem se pode deleitar em locais maravilhosos como a Grote Markt, a principal praça de Bruxelas, e a bela Bruges, uma cidade encantada. Para comer e beber a Bélgica também traz deliciosas atrações: chocolates, cervejas, gaufres e batata fritas (criadas por lá). É possível visitar desde cidades medievais a abadias onde os monges fabricam suas próprias cervejas e museus da famosa arte flamenca. Confira aqui tudo sobre turismo na Bélgica!

Mais detalhes da imponência das construções da Grote Makt de Bruxelas
Detalhes da imponência das construções da Grote Makt de Bruxelas

Como chegar e se deslocar na Bélgica

A localização da Bélgica facilita o turismo. Está numa região central da Europa, acesso entorno de duas horas de trem de Paris, Londres e Amsterdã. Saindo de Bruxelas, de trem, em cerca de uma hora se está em cidades como Bruges, Gent, Namur e Antuérpia.

Gent, a cidade onde vi mais bicicletas que Amsterdã
Gent, a cidade onde vi mais bicicletas que Amsterdã

Para saber antes de ir: breve história da Bélgica

Oriunda de tribos celtas, os belgas, foi parte dos Países Baixos dos Habsburgos, que incluía o território atual de Holanda, Bélgica e Luxemburgo. Na Idade Média foi muito importante para o comércio e a cultura e nos séculos XIX e XX foi local de muitas batalhas e guerras, por isso recebeu o terrível apelido de campo de batalhas da Europa. Sua independência foi em 1830 e logo após se estabeleceu uma monarquia com parlamentarismo. O país foi neutro até 1914, quando a Alemanha invadiu o país e na segunda guerra toda a região foi ocupada pelos nazistas.

Estação Central da Antuérpia: a mais linda que já vi
Estação Central da Antuérpia: a mais linda que já vi

Dicas para preparar seu roteiro de turismo da Bélgica

Estive na Bélgica em uma viagem que fiz com a minha afilhada. Fomos de Paris e depois partimos de lá para Luxemburgo, uma combinação que funcionou muito bem! Os deslocamentos não foram longos e, por serem de trem, economizamos tempo e dinheiro em transportes para aeroportos e em despacho de bagagem. Como era baixa temporada (fevereiro/março) e comprei com dois meses de antecedência, ticket de Thalys de Paris para lá saiu 29 euros e o Bruxelas-Luxemburgo 80. Além disso, todas as hospedagens foram perto de estações de metrô ou de trem, o que facilitou o acesso a hotéis e reduziu custos com táxi. Aliás, não pegamos um táxi na Bélgica! Fizemos tudo a pé e de metrô!

Detalhe dos prédios do Quartier des Arts
Detalhe dos prédios do Quartier des Arts de Bruxelas

Ficamos hospedadas uma semana na capital – o que foi perfeito, sem ficar trocando de hotel e nos estabelecendo num lugar só – e de lá fizemos diversas viagens deliciosas pelo interior de trem. Por mais que tenhamos usado trem todos os dias, não saiu caro, pois os bilhetes não são salgados e economizamos em aluguel de carro e gasolina.

O sol se pondo em Bruges
O sol se pondo em Bruges

Meu roteiro de turismo na Bélgica

No primeiro dia, chegamos tarde então apenas andamos um pouco pelos arredores do hotel e jantamos na região. No segundo dia, batemos perna por toda a cidade! Conto tudo o que desvendamos no texto Bruxelas: uma cidade em que nada é óbvio.

Foi no terceiro dia fomos visitar Bruges e foi então que considerei a cidade como uma das mais lindas que já vi! Essa experiência está toda detalhada em Bruges e os canais: uma cidade que nos deixa sem palavras.

Grote Market, em Bruges
Grote Market de Bruges

Depois foi a vez de fazer mais um bate e volta focado em uma única cidade. Você encontra essa história em Antuérpia, entre as pinturas de Rubens e os diamantes.

Já o quinto dia foi para conhecer a famosa e jovem Gent. Lá visitamos as catedrais e fizemos uma longa caminhada pelos rios e canais. Essa experiência conto em A jovem e alegre Gent.

Ganhamos um belo pôr do sol no fim de nosso passeio em Ghent
Ganhamos um belo pôr do sol no fim de nosso passeio em Ghent

No último dia inteiro que tínhamos fomos à Dinant e depois seguimos para Namur. Você já pode ter pistas de como foi no título do texto Dinant: a foto mais linda, o lugar mais mico e depois nos deliciamos com A vista da cidadela de Namur.

fullsizeoutput_b1f
O grande chamariz para a minha ida à Dinant foi uma foto da igreja à beira do rio e ao pé da pedra

Por fim, no sétimo dia, descansamos nossas pernocas (andamos muuuuuito em todas essas cidades) no hotel, fizemos as últimas comprinhas e pegamos o trem para Luxemburgo! Essa história também contamos aqui no blog!

Uma viagem para quem já conhece outros destinos europeus

Acho que a Bélgica é um destino para que já conhece um pouquinho da Europa e quer desvendar novos lugares. É interessante que a pessoa antes já tenha ido à França, Holanda, Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que entendo serem os destinos mais clássicos. Com essa bagagem, será possível entender ainda mais os belgas e a arquitetura local, que tem um sabor próprio!

A bela catedral da Antuérpia
A bela catedral da Antuérpia

Confesso que não é muito meu estilo fazer aquelas viagens (que atualmente o pessoal tem chamado de EuroTrip) em que se vai pingando capital a capital por dois ou três dias. Acho que os países precisam ser sentidos, experimentados e eles não são só as capitais! Também demora um tempinho para conseguirmos desvendá-los do ponto de vista cultural. Se eu tivesse ido somente à Bruxelas, teria perdido a delícia, por exemplo, de conhecer Bruges, que se tornou uma das minhas cidades favoritas.

A vista da cidadela de Namour
A vista da cidadela de Namur

Quanto tempo ficar na Bélgica

Então, se você estiver indo pra Bélgica, a minha sugestão é que dedique AO MENOS quatro dias inteiros. Nenhuma das cidades de lá demanda taaaanto tempo. Conheça Bruxelas, visite Bruges e escolha alguma outra. Viva a Bélgica! Sinta ela! E… não deixe de aproveitar as cervejas!

Dicas preciosas para o trem

E uma dica preciosa para se deslocar na Bélgica de trem: ao lado de toda estação central existe um escritório de turismo que tira dúvidas e oferecem mapas gratuitos da cidade! Ou seja, não gaste com mapas!

Outra informação valiosa para a Bélgica: aos finais de semana, o preço do tíquetes nacionais de trem é de 50%! Para obter o desconto, a ida e a volta deve ocorrer entre a noite de sexta e a de domingo. Então faça bate e volta para os lugares mais distantes nesse período!

Como combinar a Bélgica com outros destinos

Qual seria uma boa combinação de outro destino com a Bélgica? França, Holanda, Luxemburgo, Alemanha e Inglaterra funcionam bem pela facilidade de deslocamento de trem. Tirando a Inglaterra, todos os demais países também são fáceis para chegar de carro! Aliás, os cinco que mencionei têm bons aeroportos internacionais.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.