Bruges e os canais: uma cidade que nos deixa sem palavras

Ouvi falar a primeira vez sobre Bruges – ou Brugge – numa viagem ao Sul da Alemanha, dez anos antes de conhecer essa cidade. Brasileiros que moravam lá insistiram que eu precisava visitar, mas eu não tinha tempo. Foi então em uma temporada de uma semana na Bélgica que fiz um bate e volta saindo de Bruxelas e entendi o que tanto falavam. Fiquei encantada. É certamente um dos mais belos lugares que já visitei na Europa.

Bruges e seus maravilhosos canais
Bruges e seus maravilhosos canais

Em um dia é possível visitar tudo. Se estiver em Bruxelas por mais de dois dias, não deixe de dar essa esticadinha! Eu certamente alguma hora volto para me hospedar e curtir um final de semana romântico.

A cidade medieval foi um importante pólo comercial do Renascimento, por isso toda a riqueza arquitetônica. E está ultra conservada. Hoje boa parte da renda vem do turismo. Então não espere ver por lá um dia a dia de interior. Na alta temporada, vá preparado para lidar com uma multidão de turistas.

O sol se pondo em Bruges
O sol se pondo em Bruges

Fui de trem e a viagem durou pouco menos de uma hora. A passagem de Bruxelas para lá, ida e volta, não foi barata. Custava cerca de 30 euros, mas valeu cada centavo! Já saindo da estação foi possível conferir todo o charme e romantismo do local, considerado patrimônio histórico pela UNESCO.

Chegando lá, caminhe pelo Minnewater Park curtindo a vista do canal, vendo as construções e as gostosas sombras de árvore de lá. Passe também pela Igreja de Nossa Senhora e veja a segunda torre mais alta da Bélgica (a primeira fica na Antuérpia). Ao lado você terá o Hospital Medieval de São João, um prédio belíssimo que rende boas fotos.

Depois dessa caminhada, nos impressionamos novamente ao chegar na Grote Market, principal praça da cidade. Cada detalhe, cada construção, tudo é milimetricamente encantador. Pare e tome um café, sorvete ou aproveite para almoçar e curtir o visual!

Grote Market, em Bruges
Grote Market

Depois do momento de contemplação, se estiver com pique, vá à Torre Belfort, suba seus muitos degraus e confira a vista da cidade. A entrada custa 10 euros.

Outra praça bela é a Burg, onde fica a prefeitura. Ela está ao lado da Grote Market e também tem construções maravilhosas. Pertinho dela saem os passeios pelos canais. São uma ótima opção para ver mais ângulos de Bruges, principalmente para quem tem mais tempo para ficar.

Os canais são o melhor da cidade! Caminhamos por horas por eles, olhando cada detalhe, tirando cinco milhões de fotos. Bruges é muito fotogênica, então vá preparado para clicar muitos ângulos e curtir a observação do local. Esse é o melhor gostinho que ela nos propicia. Meus olhos abraçaram cada cantinho.

Andando entre alguns quarteirões passamos por dois moinhos, o St Janhuismolen, de 1770, e o Koeleweimolen. O céu estava limpo e a cena rendeu outro momento de contemplação.

Os moinhos antigos de Bruges
Um dos moinhos antigos de Bruges

Foi entre os canais que chegamos ao Lago do Amor, na minha opinião, o local mais belo de Bruges. Naquele momento, a cidade tinha mais que superado qualquer expectativa que eu pudesse ter.

Lago do Amor, em Bruges
Lago do Amor, em Bruges. Inesquecível!

Voltamos com um sorriso enorme, até mesmo com o trem lotado. Isso mesmo! Só tome cuidado na hora de voltar no final do dia. Os vagões voltam bem cheios nas noites dos finais de semana.

Gostou? Acompanhe o Ultrapassando Fronteiras e veja também nossas publicações sobre Bruxelas e a Bélgica. Fizemos diversos bate e volta na região, todos saindo da capital. Entre eles estavam Antuérpia, Gent, Dinant e Namur.

Confira também:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.