Sélestat e a apaixonante Biblioteca Humanista

Sélestat foi uma das minhas expedições de final de semana. Situada entre Colmar e Strasbourg, essa pequena cidade da Alsácia era uma das que estava na minha lista para explorar. Fui adiando não porque não quisesse conhecer nem por achar pouco atraente, mas pela passagem de trem saindo deMulhouse custar, ida e volta, 36 euros. Alguma coisa, contudo, me chamava até lá e fui só descobrir quando cheguei.

Sélestat é repleta de casas Renascentistas
Sélestat é repleta de casas Renascentistas

Essa é uma cidade do nordeste da França a 17 quilômetros do Reno e da fronteira da Alemanha. Sua população é de aproximadamente 20 mil habitantes, o que para a Alsácia – pasmem – é um número relevante. Na Idade Média e no Renascimento foi a terceira maior da região, depois de Strasbourg e Colmar, e está classificada hoje nessa posição como patrimônio cultural da região.

Todo o charme das ruas de Sélestat
Todo o charme das ruas de Sélestat

Sélestat foi fundada no século VIII e teve um longo período de prosperidade graças ao comércio de vinho e sua vida religiosa e cultural. Foi, gradualmente, declinado depois da Reforma e da conquista francesa, ocorrida no século XVII. Hoje é um destino importante da Alsácia, por mais que todos os guias não a classifiquem como estando entre os mais importantes locais.

Todas as ruas de Sélestat estão super conservadas
Todas as ruas de Sélestat estão super conservadas

Cheguei de trem e minha saída para o centro só teve sucesso graças ao Google Maps. Não existe qualquer sinalização no entorno explicando o caminho para a cidade. Na frente da estação, contudo, estão diversos ônibus de turismo, incluindo o que leva para o famoso Europark e o que vai para o castelo de Haut-Koeningsbourg. Eu desconhecia essa possibilidade. A falta desse tipo de divulgação é o que faz o turismo na região ser muito concentrado no deslocamento em carro.

Vemos essa torre de diversos pontos de Sélestat
Vemos essa torre de diversos pontos de Sélestat

Chegando ao centro, como usual em várias cidades das redondezas, o escritório de turismo estava fechado. Não funciona aos finais de semana. A sinalização e um mapa que está em frente a esse órgão nos ajudam a identificar tudo o que tem ao redor. A principal atração está bem pertinho de lá: a Biblioteca Humanista, ou Bibliothèque Humaniste. Duas igrejas medievais, uma linda torre de relógio e ruas bem fofas também fazem parte do circuito turístico.

Sélestat é uma típica cidade da Alsácia
Sélestat é uma típica cidade da Alsácia

O primeiro lugar que entrei foi o principal ponto turístico: a Biblioteca Humanista, patrimônio da Unesco desde 2011. Recentemente reformada e com ainda cheirinho de tinta, ela oferece uma das mais antigas coleções de manuscritos medievais e renascentistas. O destaque fica para o acervo de Beatus Rhenanus, um famoso humanista e reformador alemão, e da antiga escola de latim, na qual ele e outros reformadores estudaram por volta de 1500.

A renovada Biblioteca Humanista
A renovada Biblioteca Humanista

Esse museu tem uma curadoria muito boa. As obras estão bem conservadas, dispostas de forma a contar uma bela trajetória da história da educação, da reforma protestante, bem como da história do livro e das gráficas. Fiquei encantada.

O prédio em si já é bem interessante e está agora conservadíssimo. A lojinha tem itens delicadamente escolhidos e vou dizer que é a melhor para livros de arte para crianças que já vi. Encontrei exemplares e brinquedos incríveis que não tinha visto em nenhum outro museu da França.

A bela estrutura da Biblioteca Humanista
A bela estrutura da Biblioteca Humanista

Lá está um exemplar do Cosmographiae Introductio, o livro com a mais antiga menção sobre a América, além de um documento de 1521 com o mais antigo registro de uma árvore de Natal. Correspondências de Beatus e livros ilustrados artesanalmente com cor também integram as maravilhas. É muito bacana respirar todo aquele atral de uma região muito importante para a Reforma e também para a história das gráficas, pois esse mercado desabrochou em Strasbourg. Foi uma verdadeira aula pra mim!

Ao lado da Biblioteca Humanista está a catedral e um museu dedicado ao pão – afinal, a Alsácia é o lugar da pâtisserie! É muito fácil dar uma caminhada gostosa pelos arredores.

Uma das raridades que encontramos na Biblioteca Humanista
Uma das raridades que encontramos na Biblioteca Humanista

O meu passeio não durou muito. A cidade é pequena. Em duas horas eu já tinha visitado toda a cidade e sentado para tomar um sorvetinho artesanal. Não acho que seja mais bonita que Colmar, Strasbourg, Kaysersberg ou Riquewihr, mas a biblioteca fez esse dia valer muito! Minha recomendação? Não faça uma grande volta para ir até Sélestat, mas certamente vale uma parada na Biblioteca Humanista no caminho para Haut-Koeningsbourg ou num deslocamento entre ColmarStrasbourg e vice-versa.

Me diz se essa rua de Sélestat não é um charme!?
Me diz se essa rua de Sélestat não é um charme!?

Como chegar? Se não estiver de carro, vá de trem pela ferrovia que liga ParisBasel passa pela cidade. O trajeto dessa ferrovia é: ParisStrasbourg, Sélestat, ColmarMulhouse e Basel. De carro, escolha passar saindo de Strasbourg ou Colmar pela A-35. Saindo de Strasbourg de carro, a sequência de cidades fofas é Obernai, Sélestat, Ribeauvillé (que não gosto muito), RiquewihrKaysersberg Colmar. Passando a fronteira da Alemanha, Offenbourg e Freiburg estão perto.

Confira também:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s