Alsácia: roteiros de 2, 4 e 7 dias

A Alsácia é a menor região da França. Com seus 25 dialetos e menos de 2 milhões de habitantes, tem uma diversidade refletida também na gastronomia. Ao sul, encontram-se as tartes flambées, uma espécie de pizza. Ao norte, as fleischnakes, semelhantes a um rocambole de carne.

Eguisheim, Alsácia
Eguisheim e suas ruelas

As tradições estão bem preservadas até os dias de hoje na Alsácia. A maior parte das estradas foram construídas pelos romanos que, depois dos celtas, foram os primeiros a ocupar a região. Todas as cidades, contudo, apresentam marcas da Idade Média e do Renascimento com seus casarões no estilo colombage (semelhante ao enxaimel alemão) e igrejas estilo romano e gótico.

Tarte flambée
Tarte flambée

Não podemos deixar de mencionar que a Alsácia é um dos berços do Humanismo e das gráficas e podemos constatar esse capítulo da história na maravilhosa Biblioteca Humanista de Sélestat. A Reforma Protestante também faz parte da história da região com a participação de Martin Bucer e Jean Calvin. E uma das capitais da Europa, sede do Parlamento Europeu, é Strasbourg, ao norte da Alsácia.

As paisagens bucólicas no trajeto da ciclovia EuroVelo6
As paisagens bucólicas no trajeto da ciclovia EuroVelo6

A região foi também muito marcada pelas guerras e, por séculos, motivo de diversas batalhas entre alemães e franceses. Aliás, quem lembra das aulas de História quando se menciona a disputa na I e na II Guerra pela Alsácia e a Lorena?

Strasbourg: vista da barragem Vauban
Strasbourg: vista da barragem Vauban

Pela proximidade e por ter feito parte do Império Germânico, esse é um pedacinho da França com sotaque alemão. A influência é facilmente percebida nos dialetos, nas roupas típicas, na arquitetura e na gastronomia. É por isso que quem já viajou nos vilarejos medievais alemães pode identificar diversas semelhanças. Existe, contudo, uma aura diferente, outras cores e sabores que só indo para compreender no detalhe!

Petit Venize de Colmar
Petit Venize de Colmar

Do ponto de vista turístico, a catedral de Strasbourg (que já foi a mais alta do ocidente), o Museu Underliten em Colmar, o castelo de Haut-Koenigsbourg, o Ecomusée em Ungersheim e o Museu do Automóvel de Mulhouse estão entre os locais mais visitados da França. Não podemos deixar de mencionar que por ali passa uma rota do vinho, três ciclovias EuroVelo – sendo a número 6 a melhor da Europa – , a rota des crétes e a rota dos castelos-fortaleza.

A enorme Notre-Dame de Strasbourg nem cabe nas fotos
A enorme Notre-Dame de Strasbourg nem cabe nas fotos

O símbolo da região é a cegonha, que pode ser vista tanto representada em souvenirs como voando sobre algumas cidades. Em Eguisheim, por exemplo, vemos ninhos em cima das casas. Em Cernay está um parque dedicado à reintrodução da espécie na natureza.

Parc à Cigognes em Cernay
Parc à Cigognes em Cernay

A Alsácia tem atrações para todos os gostos e idades. Lá você confere cidades medievais, trilhas nas montanhas e na floresta negra, lagos, neve e sol. Também pode visitar vinícolas e experimentar excelentes restaurantes, já que é a maior região depois de Paris no número de estabelecimentos com estrelas Michelin. Museus famosos e castelos também não ficam de fora da lista! E, para quem tem crianças bem pequenas, o Parque do Pequeno Príncipe pode ser uma oportunidade de brincar com o famoso personagem!

A vista no final da trilha do olho da bruxa de Thann
A vista no final da trilha do olho da bruxa de Thann

Quantos dias ficar? Difícil essa pergunta, pois depende muito do estilo de atração que está procurando. Assim, divido aqui em baixo em diferentes roteiros, com diversas durações. Strasbourg e Colmar são os lugares mais famosos, por isso, não deixe de contemplá-los!

img_3996.jpg
Ruas de Colmar

Quando ir? Também depende muito do que busca. Tenho dois períodos favoritos. A temperatura no meio da primavera e no começo do verão é muito agradável. É possível curtir atividades ao ar livre e as cidades estão repletas de flores. No inverno, você pode curtir as lindas feiras de Natal e as estações de esqui. Como o clima é continental, as temperaturas são extremas: é possível ter -15 em janeiro ou fevereiro e 35 entre julho e agosto.

A delicadeza das flores, casas e detalhes
A delicadeza das flores, casas e detalhes em Riquewihr

Pela localização central, sugiro fazer base em Colmar e de lá seguir para as outras cidades. Se quiser se hospedar com o máximo do charme e romantismo, escolha ficar em Riquewihr ou Eguisheim, lindas cidades da rota do vinho.

Vista da Tour du Belvedère para os alpes
Vista da Tour du Belvedère de Mulhouse para os alpes

Para chegar na Alsácia de avião, existe um aeroporto de Strasbourg e o EuroAiport em Mulhouse (compartilhado com Freiburg, na Alemanha, e Basel, na Suíça). Trens partem até lá de diversas cidades situadas na Alemanha, França e Suíça e são uma boa forma de chegar na região.

img_4496
A imperial Kaysersberg

O trem, aliás, é ótima forma de transitar na França, contudo, se quiser fazer a rota do vinho ou trilhas, precisará de carro para acessar esses lugares. Das cidades turísticas, os trens só chegam a Mulhouse, Sélestat, Colmar e Strasbourg. Um tram possibilita acessar Cernay e Thann a partir de Mulhouse.

Um dos restaurantes reconhecidos pelo guia Michelin
Um dos restaurantes reconhecidos pelo guia Michelin

Mas vamos lá aos roteiros sugeridos! Não deixe de ver os links para os textos sobre cada cidade e atração, pois aqui só faço um resumo de programação.

Final de semana ou dois dias na Alsácia

Hospede-se em Strasbourg numa sexta-feira à noite ou num sábado de manhã. Dedique o sábado para conhecer as atrações que comento aqui. No domingo, faça o check out cedo, deixe a mala no hotel e passe o dia em Colmar. Certifique-se dos horários dos trens para não perder a volta de Strasbourg. Esse roteiro dispensa carro.

Quatro dias na Alsácia

Hospede-se em Colmar ou em uma pequena cidade próxima (recomendo Eguisheim ou Riquewihr). Dedique um dia para Colmar, jante nessa noite em Eguisheim e aproveite para conhecer a cidade. No dia seguinte, vá até Riquewihr, Kaysersberg e Obernai e curta as belas estradas, repletas de videiras, além das lindas cidades medievais e as degustações de vinho. No 3o dia, visite Strasbourg. No último, vá até o castelo de Haute Koenigsbourg ao Parc naturel régional des Ballons des Vosges. Esse roteiro demanda alugar carro para acessar o parque, o castelo e as cidades da rota do vinho. Não deixe de fazer reservas em restaurantes de Riquewihr e Eguisheim para experimentar maravilhosos restaurantes Michelin! Fomos ao Au Trotthus, em Riquewihre amamos!

Uma semana na Alsácia

Hospede-se em Colmar ou em uma pequena cidade próxima (recomendo Eguisheim ou Riquewihr). Dedique o 1o dia para Colmar e jante nessa noite em Eguisheim e aproveite para conhecer a cidade. No dia seguinte, vá até Riquewihr, Kaysersberg e Obernai e curta as belas estradas, repletas de videiras, além das lindas cidades medievais e as degustações de vinho. No 3o dia, vá até o castelo de Haute Koenigsbourg ao Parc naturel régional des Ballons des Vosges.

No 4o dia, vá até Mulhouse, visite o Museu do Automóvel e o Museu do Trem, aproveite para dar uma esticadinha e subir na Tour du Belvedère para ver a vista da floresta negra. Ainda no 4o dia, no período da tarde, passe no Ecomusée d’Alsace. Dedique o 5o dia para a natureza. Faça um trecho da rota dos crètes ou curta um passeio de bike pelo interior na plana EuroVelo6. Se for inverno, aproveite os parques com estações de esqui.

Reserve então os dois últimos dias para se hospedar em Strasbourg e conhecer a cidade com calma. Os cinco primeiros dias desse roteiro demandam alugar carro. Não deixe de fazer reservas em restaurantes de Riquewhir e Eguisheim para experimentar maravilhosos restaurantes Michelin!

E continue acompanhando o Ultrapassando Fronteiras que tem sempre novidades por aqui, inclusive sobre a Alsácia, onde moro! Confira ainda todos os textos da editoria Roteiros e lugarzinhos/França/Alsácia, pois lá tem bastante conteúdo sobre a região!