Strasbourg, capital da Europa

Estive em Strasbourg, ou Estrasburgo, num dia útil normal. Eu tinha cedinho um horário no escritório de imigração de lá, que é a unidade central da região, para validação do meu visto. Peguei um trem, desci na estação central da cidade e já estava pertinho de onde devia ir. Mal andei duas quadras e me apaixonei pela cidade.

img_4689
As pontes e as torres de Strasbourg

A cidade merecia até um dia a mais de visita. Um final de semana seria o ideal. Tudo foi, entretanto, tão natural e fácil de andar que consegui visitar, do meu jeito andarilha de ser, em um dia, as principais atrações e vários cantinhos maravilhosos! Gostei tanto que depois voltei duas outras vezes!

img_4744
A cidade pede longas e detalhadas caminhadas para apreciar cada cantinho

Strasbourg é a maior cidade do Nordeste da França. Está situada perto da fronteira da Alemanha e faz parte da minha linda região da Alsácia. É uma das capitais da União Europeia – junto com Bruxelas e Luxemburgo – e sede do Conselho da Europa, a Corte Europeia de Direitos Humanos, o Parlamento Europeu, entre outros órgãos. Seu Centro Histórico foi classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco. Seu mercado de Natal é um dos mais lindos que já vi e atrai milhões de turistas todo ano.

img_4888
O Centro histórico e suas antigas casas

História de Strasbourg

Do ponto de vista histórico, ela viveu uma série de disputas franco-germânticas. Intelectualmente, é muito importante por ter a segunda maior universidade do País. Economicamente, é um grande centro industrial e de engenharia, bem como abriga o segundo maior porto do Reno. Para as relações internacionais, é um local extremamente importante por ter tantos órgãos da UE e reunir diversos diplomatas.

Fundada no século XII antes de Cristo pelos romanos sob o nome Argentoratum, foi governada entre os séculos IV e XIII pelos bispos de Strasbourg até que a população se rebelou e a converteu em uma cidade imperial. Foi só no século XVII que se tornou parte da França, após a conquista da Alsácia por Luiz XIV. Começaram então diversas disputas por ela. Com a Guerra Franco Prussiana, tornou-se novamente germânica, permanecendo até a I Guerra Mundial, quando voltou às mãos dos franceses. Na II Guerra, em 1940, foi tomada pelos alemães e, com o final dela, voltou a ser da França. Imagino o quanto a cidade não foi devastada por essas batalhas…. Triste não é?

img_4775
A cada curva dos canais, uma bela visão

Cabe aqui ainda um outro capítulo à parte sobre a Reforma Protestante, na qual teve importante participação. E, do meu ponto de vista de jornalista, outros fatos importantes: alguns dos pioneiros centros de impressão e editoração de Gutenberg e Eggestein também foram lá.

O que fazer em Strasbourg

Minha visita começou saindo da estação Central e indo até OFII, o órgão de imigração, situado a algumas quadras dali, atravessando um canal. Depois de passar por esse escritório, voltei para o canal e iniciei a minha jornada andarilha.

img_4728
As ruas encantadas da Petite France

É possível fazer todo o Centro Histórico da cidade (Grande-Île), a pé, aliás esse é um pedaço fechado para carros. Como a cidade é cortada por canais, formando belas ilhas, existem passeios de barco, o que possibilita a visão de outro ângulo Strasbourg.

Eu recomendo bastante fazer esse passeio porque as ilhas e as construções nelas e ao redor são bem bonitas! São dois tipos de trajetos: um de 45 que dá a volta na Grande Île (10 euros) e outros de 1h10 que inclui ainda o Quartier Européen (13 euros). Os ingressos podem ser comprados logo atrás do Palais Rohan ou pelo site da empresa Batorama.

img_4711
As pontes vistas da Terrace Vauban. Destaque para o barco do passeio

Meu primeiro local de visita foram as Ponts Couverts, pontes rodeadas por torres que eram utilizadas para a proteção da cidade. As pontes, que não são mais cobertas, são lindíssimas! Passei então na Terrase  Vauban, que faz parte de uma barragem antiga. Esse é um lugar que sempre passo quando vou à cidade porque amo! A varanda situada no último andar tem a mais bela vista da cidade. De lá se vê os canais, torres e até a catedral!

O charme da Petit France quando encontra com o canal
O charme da Petit eFrance quando encontra com o canal

Em seguida, passei pela Petite France, um lindo bairro, super famoso, com casinhas lindas, canais e pontes. Eu tirei milhares de fotos! Você vai se apaixonar pelos canais cortando essas casinhas mesmo se já tiver feito a rota do vinho da Alsácia e visitado cidades como Colmar, Kaysersberg e Riquewihr. Essas cidades estão perto, mas a arquitetura, as ruas e os canais são completamente diferentes!

img_4807
Place de la République

Depois andei à beira do canal e, chegando na Île-de-Strasbourg, fui parar na Place de la République, onde está o Palácio do Reno, a Biblioteca Nacional Universitária e o Teatro Nacional. A arquitetura de lá é bem diferente do Centro e vale muito observar! Aproveitei para parar na feira e comer um delicioso crepe de rua! Aliás, adoro conhecer cidades experimentando a comida local de rua…

img_4796
Os arredores da Place de la République

Fui então ao local mais famoso da cidade, a renomada Catedral Notre-Dame, situada na Grande Île (Centro antigo). Na minha opinião, a mais bela catedral da França do ponto de vista arquitetônico. Eu não falo do ponto de vista artístico, pois acho os vitrais de Chartres, os mais belos de toda a Europa!

img_4835
A Catedral é tão grande que não cabe nas fotos

Uma visita obrigatória, a catedral de estilo gótico foi construída ao longo de mais de quatro séculos (1015 a 1439) e tem 142 metros de altura. Até o séc. XIX era a mais alta do Ocidente.

Essa igreja traz uma riqueza de detalhes e esculturas incrível em seu exterior. É lá que está o famoso relógio astronômico (l’horloge astronomique), decorado com o estilo do Renascimento que data do séc. XVI. Fiquei também encantada com a beleza do órgão de lá.

img_4866
Detalhes da catedral

Se subir a torre, poderá ter uma vista legal da cidade. No dia da minha visita, por uma reforma, eu infelizmente não pude ir até lá. A entrada é gratuita, mas para ver o relógio astronômico sai 2 euros e para subir 5 euros.

Os tickets estão incluídos no Strasbourg Pass, um passe válido por três dias que custa 21,5 euros e inclui diversas atrações, inclusive o passeio de barco, o que faz ele valer a pena para que quer visitar vários pontos turísticos! Importante: a Notre-Dame fica fechada para visitação aos domingos.

img_4842
Ao lado de fora da catedral está essa escultura. Trata-se de uma ação da cidade junto a empresas em que as companhias locais contrataram artistas para fazer esculturas para cidades. Existem diversas obras em Strasbourg por conta dessa iniciativa.

A praça da igreja e os arredores são lindos. Sem contar que tem inúmeros restaurantes com cardápios bem apetitosos ali! É ótimo para almoçar! Logo ao lado está a Maison Kammerzell, uma casa histórica que funcionou como mercado e hoje é um restaurante.

Lá também na praça está o escritório de turismo, onde pode obter informações e comprar o Strasbourg Pass. O Palais de Rohan, pertinho dali, construído em 1742,  foi residência de cardeais, sede da prefeitura e hoje abriga três museus: Musée des Arts Décoratifs, Musée Des Beaux-Arts e Musée Archéologique.

img_4658
Um pouco mais da Petit France

Outro ponto a se visitar é o Quartier Européen, o bairro onde estão as instituições europeias. Eu não pude fazer a visita, pois é preciso reservar com antecedência e só está aberta a grupos mais de 15 pessoas.

Antes de ir embora, aproveitei para fazer umas comprinhas! Lá no Centro estão duas lojas de departamento das maiores redes francesas: a Printemps e a Lafayette. Aqui na minha cidade não tenho essa facilidade… Você também encontrará em Strasbourg grandes marcas como Hermès e Louis Vuitton, além de Longchamp, Naf Naf e Sephora.

A grande árvore de Strasbourg no Natal
A grande árvore de Strasbourg no Natal

Como chegar em Strasbourg?

A cidade tem um pequeno aeroporto e o acesso por trem é excelente. É possível chegar de trem da Alemanha de cidades como Frankfurt, Munique, Sttugart, Haguenau e Baden Baden. Da Suíça também é fácil se deslocar de Zurique e Basel. Na França existem trens partindo de cidades como Paris, Sélestat, ColmarMulhouse, Metz, Nancy e Bordeaux.

Se quiser saber mais sobre a França, confira aqui no blog mais outros conteúdos! Contamos sobre atrações de Paris e arredores, como o Castelo de Versalhes e o de Chantilly, os jardins de Monet em Giverny e a Rouen de Joanna D’Arc. Também abordamos sobre outros destinos da Alsácia como ColmarMulhouse, EguisheimRiquewihr, Ribeauvillé, Thann Kaysersberg.

Confira também:

No Ultrapassando Fronteiras também temos conteúdo sobre outros países europeus e toda semana tem novidade! Acompanhe!

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s