Vôo cancelado? O que fazer?

Certa vez eu fiz uma viagem à Paris e resolvi dar uma paradinha de oito horas em Amsterdã para a minha afilhada conhecer mais uma cidade. Viajamos sem mala de mão, só com a bolsa, e saímos do aeroporto para almoçar e ir a alguns museus. Amsterdã fica a 15 minutinhos de trem de Schirpol e a passagem não é cara, custa menos de 5 euros.

Na volta de nosso passeio, embarcamos, mas o avião não ligava. Ficamos quatro horas no avião e ninguém conseguia consertar. Não deram nem água nem comida pra ninguém!

Fui até a cabine reclamar da demora, do risco de voar num avião que não era arrumado, da falta de comida e hospitalidade e pedi que me tirassem do avião e transferissem a um hotel para ir no dia seguinte, pois eu não queria continuar ali dentro com fome e naquele ar que não circulava. A companhia resolveu então dar água e comida para as pessoas e, passada mais uma hora, cancelou o voo e transferiu todos a hotéis.

Até chegar no hotel foi uma saga. E sem mala, pois elas ficaram retidas no aeroporto. Ficamos na fila para pegar um voucher de remarcação do voo, que foi remarcado para o mesmo horário no dia seguinte. Depois entramos em outra fila para um vale alimentação de 15 euros para usar no próprio aeroporto e um kit com uma camiseta branca de má qualidade, uma escova de cabelo e uma de dentes horrorosa e shampoo. Depois veio a terceira fila para seleção do hotel. Por fim, a quarta fila foi a do transfer, mas esqueceram os últimos passageiros. Ligamos ao hotel e ficamos esperando até chegarem. Quando entramos no hotel, não tinha frigobar e nem restaurante aberto para comer. Dormimos de madrugada com fome. Pelo menos o kit higiene de lá era melhor do que o da companhia aérea…

No dia seguinte, tivemos de deixar o quarto às 11 horas, sem qualquer sucesso de negociação. Como o voo era às 20h, passamos o dia todo na cidade, passeando, mas exaustas. Compramos meias e camisetas e conseguimos trocar algumas peças de roupa, o que era um alívio para quem estava viajando há quase 48h.

Chegando em Paris, cadê as malas? Foram extraviadas. Ficamos mais uns dias sem elas nessa saga que conto no post sobre mala extraviada ou quebrada, pois conseguiram também quebrar a minha mala!

Enfim, como tudo são experiências, hoje posso te contar que fiz compras de itens básicos em Amsterdã e depois cobrei da companhia aérea as compras, a diária de hotel que não usei e a multa de 250 euros pelo cancelamento de voo. Em um mês, o dinheiro estava na minha conta no Brasil, mas eles não devolveram o valor do hotel. Esse eu pedi então do seguro do cartão de crédito, que restituiu o valor.

Nessas horas, além da paciência, ficam algumas dicas:
* A companhia precisa fornecer alimentos se o voo atrasar mais de duas horas
* Um longo atraso exige pagamento de hotel, itens básicos de higiene e vestuário (escova, shampoo, pasta, roupa íntima…), alimentação e de uma multa
* Seguros de viagem podem ter também cobertura para cancelamentos e atrasos, não deixe de atentar na hora da contratação e de acionar, se necessário
* Se a companhia área não te deu suporte, a assistência de viagem de seu seguro pode te ajudar nas providências
* Guarde todos os comprovantes de compras que tiver e os tickets de voo para solicitar os reembolsos
* Não deixe de pedir reembolso de despesas com diárias não utilizadas de hotel ou passeios, transfers, carros e estacionamentos que já estavam contratados
* Use os sistemas online das cias áreas para fazer solicitações de atendimento e de reembolso, pois eles geram registros e protocolos
* Se preferir, peça devolução do dinheiro, você tem esse direito, e pegue outro transporte

E você? Já teve algum voo cancelado? Como foi? Se precisar mergulhar ainda mais no tema, leia o post sobre seguro de cartão de crédito.