Valência, minha cidade espanhola favorita

Gosto muito da Espanha e de diversas cidades, como Barcelona, Madrid, Málaga, Sevilha e Granada, de onde veio a família da minha avó materna. Valência, entretanto, é uma que me apaixonei. Ela é a terceira maior do País, com características de cidade grande, pois tem de tudo e ainda oferece o aconchego de uma pequena. A temperatura é amena e tem praia!

Estive lá pela primeira vez em 2012, quando fiz uma viagem de carro por todo o País. Agora tenho oportunidade de estar boa parte do ano na cidade, pois meu namorado está morando em Valência.

IMG_3038
Ruelas do Centro de Valencia

Para chegar, é mais fácil para quem já está na Espanha, pois o aeroporto é pequeno e têm poucos vôos, mas grandes cidades europeias como Amsterdã, Frankfurt, Londres, Paris e Zurique têm vôos diretos. Fica a três horas de trem de Barcelona e Madrid.

O ideal é conhecer em pelo menos dois dias, tempo ideal para ver toda a região central. Como a cidade se desenvolveu à beira do rio, é preciso um pouco mais de tempo para ir até a praia, onde tem bons restaurantes que servem paella – sim! é originária da região – e os arrozes de frutos do mar.

Igrejas e construções históricas

No Centro, temos três belas igrejas. Uma é a Catedral de Valência, construída entre os séculos XIII e XV, com tem três portas de estilos arquitetônicos diferentes. Na frente dela está a Praça da Virgen, onde ocorre uma importante parte das cerimônias da festa incrível e inesquecível das fallas, cujo post você poderá conferir aqui!

A Virgem de Valencia
A Virgem recebendo flores na praça durante as fallas

Outra igreja é a Nossa Senhora de los Desamparados, no estilo barroco e lindos afrescos. Logo ao lado dela está a Generalitat de Valência, sede do governo local.

Por fim, temos a Iglesia Parroquial de San Nicolas, cujo interior é o mais belo de todas, e é consideradada a Capela Sistina espanhola. A vista de cima dela é uma das mais famosas da cidade, mas cuidado com o horário de visita, pois ela fecha no horário do almoço e abre no final da tarde.

Iglesia de San Nicolas de Valencia, a Capela Sistina espanhola
Iglesia de San Nicolas de Valencia, a Capela Sistina espanhola

A La Lonja da Seda é um dos prédios históricos mais famosos e hoje é considerada patrimônio da Unesco. Era lá que mercadores da seda realizava seus negócios. A visita não surpreende, pois o museu não tem muitas peças, mas vale entrar para sentir a atmosfera comercial da época!

Se ainda não tiver passado por uma Praça de Toros, aproveite para conhecer a de Valência! Como todas são muito parecidas, recomendo apenas àqueles que nunca foram em uma.

Ah! A comida…

Os mercados e a gastronomia são a parte que mais gosto da cidade. Comer em Valência é muito barato. É possível fazer um menu degustação num Michelin a menos de 30 euros. Os restaurantes são, entretanto, muito concorridos e sempre é preciso fazer reserva. Se for a um local mais comum, gastará quase o mesmo de um restaurante estrelado. A diferença é pequena.

IMG_1692
Polvo como entrada em restaurante Casa Carmela, excelente para frutos do mar

O Mercado Público é maravilhoso, ótimo para ir para tomar um vinho antes ou após o almoço (ele fecha cedo) e ver ou comprar produtos da região. O Mercado de Colón é meu favorito. Foi revitalizado com vários restaurantes ótimos e cafés. Não deixe de agendar um restaurante lá! O Ma Khin Café é uma ótima pedida, com excelentes menus degustação entre 17 e 35 euros. O Habitual é outro restaurante de lá que adoro.

Outra informação importante sobre o hábito da cidade é que lá as pessoas almoçam tarde. Assim, os restaurantes começam a servir só depois das 13h30, às vezes só 14h. Garanta um lanchinho no meio da manhã para não sentir fome!

IMG_1682
O mercado central e os arredores

Outros lugares ótimos para comer são na praia, onde servem as paellas. A tradicional valenciana é feita com carne de coelho e frango. Albufera é uma cidade próxima onde foi criado esse prato típico e é um ótimo passeio para um almoço diferente.

A Valência moderna

A Cidade das Artes, das Ciências e o Oceanário formam um complexo arquitetônico de cair o queijo. À beira do rio, é a região mais bela de Valência. São do arquiteto Santiago Calatrava, que fez o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. A entrada é um pouco salgada, mas se não quiser pagar, pode só caminhar no entorno. Tenho certeza de que renderá belas fotos! Para quem quiser saber mais, fiz um post só sobre o complexo!

Cidade das Ciências e das Artes: ponto alto de Valencia
Cidade das Ciências e das Artes: ponto alto de Valencia

Praias

Se tiver um tempinho a mais, além de comer paella na praia, aproveite para tomar um sol ou andar no calçadão. Valencia, por conta das invasões, se desenvolveu longe da costa e demora uns 20 minutinhos pra ir de carro do Centro até lá. Se estiver de transporte público, cerca de uma hora.

Diversos bares e restaurantes estão na orla e algumas praias mais afastadas são as mais interessantes para um banho. El Cabanyal-Arenas e a Malvarrosa são as mais conhecidas. A Pinedo é uma das mais frequentadas pela facilidade de acesso. A El Saler é uma das favoritas pela extensão e a areia ser fina. Cabe destacar que, descendo sentido Sul da Espanha, você encontrará praias mais exuberantes que essas, como Calp e Xabia (minha favorita). As da cidade são praias mais compridas, cercadas de prédios e bem lotadinhas.

Não deixe de subir nas torres

Valência tem duas torres medievais que você pode subir, a Torre de Quarts e a Torre de los Serranos. A entrada é barata: 2 euros. A vista de lá é incrível e o passeio bem interessante. Não deixe de subir em alguma delas!

IMG_1614
Vista da Torre de los Serranos no por do sol

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida? Se ficou, aproveite para comentar, pois sempre estou lá e posso tentar buscar a informação que precisa! E não deixe de ler sobre as Fallas de San Jose de Valencia, um evento magnífico!